O USO DAS TEORIAS TRADICIONAIS E NÃO TRADICIONAIS DE CARREIRA PARA ENTENDER A RELAÇÃO DOS JOVENS COM AS NOVAS TECNOLOGIAS

Analisar a pressão das novas tecnologias sobre a carreira de jovens universitários, sob a ótica das teorias de carreira, é o objetivo da pesquisa apresentada neste artigo, que envolveu 123 estudantes do último ano do curso de administração, de uma universidade privada da cidade de São Paulo. Sob a ótica das teorias tradicionais, foram utilizadas as “âncoras de carreira” e, sob a ótica das teorias não tradicionais, as “carreiras inteligentes”, na qual as pessoas desenvolvem três grupos de competências, transferíveis entre organizações: Knowing Why; Knowing How; Knowing Whom. As hipóteses levantadas foram analisadas por meio de técnicas estatísticas e foram obtidos os seguintes resultados: os jovens não percebem as novas tecnologias como uma ameaça ao seu trabalho atual; pessoas que percebem a competência Knowing How mais desenvolvida sentem menos a pressão das novas tecnologias; as teorias não tradicionais apresentam mais potencial de análise das pressões tecnológicas do que as tradicionais; por fim, a natureza do trabalho gera impactos diferentes quanto à pressão das novas tecnologias sobre a carreira, pois pessoas que ocupam cargos que apresentam maior interação humana com clientes internos ou externos sentem-se menos ameaçados. De forma geral, é possível notar que as teorias tradicionais de carreira, especialmente a abordagem de aconselhamento vocacional, não são suficientes para explicar o impacto das novas tecnologias na carreira. Paralelamente, uma maneira de enfrentar a pressão provocada pelos avanços tecnológicos pode estar no uso da própria tecnologia para o desenvolvimento de “habilidades úteis” para o trabalho, de forma condizente com as “carreiras inteligentes”.

O USO DAS TEORIAS TRADICIONAIS E NÃO TRADICIONAIS DE CARREIRA PARA ENTENDER A RELAÇÃO DOS JOVENS COM AS NOVAS TECNOLOGIAS

DOI: 10.37572/EdArt_28082144624

Palavras chave: tecnologia; teorias de carreira; âncoras de carreira; carreira dos jovens; gestão de carreira.

Keywords: Career anchors, Careers, New technologies, Young professionals, Intelligent careers.

Abstract:The purpose of this paper, which involved 123 students in their last year of an administration course at a private university in the city of São Paulo, Brazil, is to evaluate the importance of analyzing the pressure from new technologies on the careers of young university students from a career theory perspective. From the perspective of traditional theories, the authors used “career anchors,” and from the perspective of non-traditional theories, “intelligent careers,” in which people develop three competency groups that are transferable between organizations: knowing why; knowing how; and knowing whom. The hypotheses raised were analyzed using statistical techniques and the following results were obtained: young people do not see new technologies as a threat to their current job; people who see the “Knowing How” competence as being more developed feel less pressure from new technologies; non-traditional theories show a greater potential to analyze technological pressure than traditional theories; and, finally, the nature of people’s jobs produces different impacts on the pressure of new technologies on their careers, since people who occupy positions involving more human interaction with internal or external clients feel less threatened. Broadly speaking, it can be noted that traditional career theories, especially the vocational counseling approach, are not sufficient to explain the impact of new technologies on careers. At the same time, one way of coping with the pressure brought about by technological advances may be in using technology itself to develop “useful professional skills,” in a manner consistent with “intelligent careers.”

Autores

  • Elza Fátima Rosa Veloso
  • Leonardo Nelmi Trevisan
  • Rodrigo Cunha da Silva
  • Joel Souza Dutra