Subjetividade política e autobiografia: Jornada dentro de um professor que investiga sua própria prática.

A colocação da subjetividade política em uma sala de aula de ensino superior nos permite desvendar a rede de relacionamentos que se entrelaçamlá, para visualizar a forma como os alunosapreendemum determinado quadroconceitual e especialmente reconhecertudo o que está envolvido no assunto que ensina. Investigar a subjetividade política, é essencial ter umaposiçãoconstrutiva-interpretativa sobre os dados coletados, bem como reconhecer o pesquisador como fundador do processo de produção do significado. Portanto, levando em consideração o mundo pessoal do estudante que apreende e o professor que ele ensina é essencial para descobrir a maneira como a subjetividademelhora a análise dos conceitoscom os quais o conhecimento se entrelaça. O fenômenoeducação observado na sala de aula, levando em consideração a categoria de subjetividade política, possibilita a análise das interações entre pessoas e conhecimento. Por tudoisso, a pesquisa desenvolvidalevantou a questão da subjetividade política dentro de um grupo de alunos do primeiro semestre da carreira de psicologia, a partir de umametodologiaqualitativa que incluía análise autobiográfica do professor-pesquisador e imagens do cotidiano social de O Chile como instrumentos para a coleta de informações. Finalmente, a subjetividade política permitiu a identificação de pontos fortes e fracos do processo de ensino e aprendizagem e o reconhecimento das diferentes formas em que o conhecimento é construído a partir da implantação das múltiplas subjetividades presentes na sala de aula atual. 

Subjetividade política e autobiografia: Jornada dentro de um professor que investiga sua própria prática.

DOI: 10.37572/EdArt_18042131622

Palavras chave: subjetividade política - didática - ensinosuperior - autobiografia

Keywords: subjetividade política - didática - ensinosuperior - autobiografia

Abstract:A colocação da subjetividade política em uma sala de aula de ensino superior nos permite desvendar a rede de relacionamentos que se entrelaçamlá, para visualizar a forma como os alunosapreendemum determinado quadroconceitual e especialmente reconhecertudo o que está envolvido no assunto que ensina. Investigar a subjetividade política, é essencial ter umaposiçãoconstrutiva-interpretativa sobre os dados coletados, bem como reconhecer o pesquisador como fundador do processo de produção do significado. Portanto, levando em consideração o mundo pessoal do estudante que apreende e o professor que ele ensina é essencial para descobrir a maneira como a subjetividademelhora a análise dos conceitoscom os quais o conhecimento se entrelaça. O fenômenoeducação observado na sala de aula, levando em consideração a categoria de subjetividade política, possibilita a análise das interações entre pessoas e conhecimento. Por tudoisso, a pesquisa desenvolvidalevantou a questão da subjetividade política dentro de um grupo de alunos do primeiro semestre da carreira de psicologia, a partir de umametodologiaqualitativa que incluía análise autobiográfica do professor-pesquisador e imagens do cotidiano social de O Chile como instrumentos para a coleta de informações. Finalmente, a subjetividade política permitiu a identificação de pontos fortes e fracos do processo de ensino e aprendizagem e o reconhecimento das diferentes formas em que o conhecimento é construído a partir da implantação das múltiplas subjetividades presentes na sala de aula atual. 

Autores

  • ANA MARÍA CALDERÓN JARAMILLO