Territórios Quilombolas: Uma Etnoconservação Na Paisagem Rural Do Vale Do Ribeira, São Paulo, Brasil

Projetos integrados de conservação e desenvolvimento rural estão cada vez mais sendo considerados como uma das melhores estratégias de conservação. O objetivo deste trabalho é analisar o processo de titulação dos territórios quilombolas e a etnoconservação na paisagem rural do Vale do Ribeira, São Paulo, Brasil. A metodologia foi baseada em pesquisa exploratória e descritiva. Como resultados, no processo de titulação, de 3.644 comunidades quilombolas mapeadas no Brasil de 2003 a 2012, somente 3,3% receberam seus títulos. No Vale do Ribeira, existem sete comunidades quilombolas que são tituladas. O Mosaico de Unidades de Conservação do Jacupiranga (Mojac) recategorizou o território do parque em 14 novos territórios, que possibilitaram a permanência das populações tradicionais no local e o uso da terra de acordo com o modo de vida tradicional. Conclui-se que esse processo de reterritorialização propicia o fortalecimento da territorialidade e das práticas da Agroecologia.

Territórios Quilombolas: Uma Etnoconservação Na Paisagem Rural Do Vale Do Ribeira, São Paulo, Brasil

DOI: 10.37572/EdArt_24830122016

Palavras chave: titulação; remanescentes de quilombo; territorialidade; Agroecologia; mosaico.

Keywords: titleness; descendants of quilombo; territoriality; Agroecology; mosaic.

Abstract:Integrated conservation and rural development projects are increasingly being considered as one of the best conservation strategies. The objective of this work is to analyze the titling process of the quilombolas territories and ethnoconservation in the rural landscape of Ribeira Valley, São Paulo, Brazil. The methodology was based on exploratory and descriptive research. As results, in the titling process, of 3,644 quilombola communities mapped in Brazil from 2003 to 2012, only 3,3% received their titles. In Vale do Ribeira, there are seven quilombola communities that are titled. The Mosaic of Conservation Units of Jacupiranga (Mojac) recategorized the territory of the park in 14 new territories, which allowed the traditional populations to remain in the place and the use of the land according to the traditional way of life. It is concluded that this process of reterritorialization promotes the strengthening of territoriality and practices of Agroecology.

Autores

  • Luciana Mello Vieira
  • Marta Cristina Marjotta-Maistro